O que pesa mais?

Domingo, dia de eleição, e me vejo engasgada com a possibilidade de elevada votação, ou até mesmo eleição de um candidato como Bolsonaro.

Fico pensando: O que pesa mais?

Ao longo desses dias, muitas pessoas se exaltaram com seus amigos, familiares e colegas de redes sociais, porque não compreendem a visão do outro, principalmente porque na maioria das vezes nem deram ouvidos. Outros optaram por continuarem sob hipnose, ouvindo, lendo, vendo apenas as páginas de seu candidato, sem investigar nas diversas mídias, fatos e documentos… Outros, por mais próximos que sejam, nem se quer quiseram desgastar-se com debate para não colocar na mira algumas “verdades” talvez até obscuras sobre a formação de caráter de outrem… Outros ignoram: parecem estar com vendas nos olhos, tampão nos ouvidos e coração de pedra… Muitos deixaram as máscaras caírem e talvez sejam assim mesmo… Muitos têm “quebrado vasos” dos relacionamentos por paixão eleitoral e acham que colando os cacos tudo volta ao normal… Outros envenenado os outros a respeito daquele que pensa diferente… Muitos optaram por amar o candidato e mandar “se lascar” o seu irmão, o seu amigo, o seu próximo!  Pouco se importaram, pouco se importam. Falta empatia… Falta respeito… Falta amor…. Falta ouvido, sobra goela.

Não entendo!

Como me posicionei, principalmente, me apresentado totalmente contrária ao candidato de extrema-direita, vivenciei algumas das coisas acima, mas nem perto do que muitos que estão sofrendo perante o desequilíbrio ampliado no Brasil. Óbvio! O extremismo tem se dado dos dois lados, mas a posição dos candidatos tem sido diferente. Não é possível que você não veja! Quem propaga mais palavras de ódio? Quem tenta diálogo nos debates? Quem leva crítica na cara e ainda dialoga? Quem é questionado e manda quem questiona “calar a boca”? Quem está tentando apresentar propostas, enquanto o outro se esconde atrás de mídias sociais? Segurança? Sério?!?! Como vai ser depois de eleito?

É importante lembrar que seja Haddad, seja Bolsonaro, a eleição é apenas o começo e o seu voto tem consequências.

Apesar dos erros do PT, representado hoje por Haddad, vejo que a democracia com ele continuará… Com ele, assim como Mano Brown “deu de dedos”, vejo que é possível estabelecer diálogo. Com ele, é possível que o eleitor questione (obs.: nós, como eleitores, ao longo da vida política, precisamos estar mais atentos aos passos do governo, seja ele qual for, ampliar a fiscalização e exigir que as propostas sejam dadas na prática. Enquanto seres da sociedade, também, precisamos arcar com nossos deveres a fim de promover justiça social). Com ele, é mais fácil as investigações de corrupção continuarem, lembrando que corrupção sempre houve no Brasil, talvez não tão propagada e investigada como após o governo de Lula, mas SEMPRE existiu e quem a comete tem mais é que pagar por isso, independente de que partido (hoje temos visto que muitos tem se safado e a indignação não tem alcançado a todos).

Do outro lado, com Bolsonaro, não vejo diálogo… vejo opressão, desrespeito, tolice. Vejo ódio. Jogo baixo.

Talvez você o apoie, pois não está na linha de frente do que ele propõe ou exala em seu discurso (ou apenas pensa que não está). Ou talvez você coloque sua mão no fogo pela “não-corrupção” dele (apesar das investigações estarem rolando e a qualquer hora poder comprovar alguma coisa… se bem que para mim já basta observar o patrimônio dele e de seus filhos… teste 432% no Google, apenas para ter uma noção). Ou, ainda, talvez porque você vê nele a solução (aí convém você tentar me ajudar a entender como, afinal ele se mostra como o salvador, mas não apresenta propostas concretas para isso… vide o Powe Point da campanha dele). Ou, por último, porque pensa mesmo que com ele será possível seguir o: “eu não tenho candidato de estimação… se não der certo, daqui 4 anos trocamos!”, sem nem ao menos perceber que pode ser que a democracia não continue ou que os estragos envolvendo vidas, principalmente, as menos privilegiadas, sejam ainda mais sacrificadas… O MUNDO TODO está alertando, mas talvez você prefira continuar sob a hipnose de apenas seguir as mídias dele e de pessoas da chapa dele e ainda se sentir o super informado, seguindo histérico com quem é da oposição.

Aos aflitos e engasgados como eu, independentemente do resultado, peço que continuem lutando pela democracia, pela justiça social, pela igualdade de oportunidades e, acima de tudo, não se calem diante do medo e de outros males. A dor de cabeça continua! Seja com um, seja com o outro, o povo não pode se calar e abster-se da política.

Pré-eleição, os sinais estão aí: censura nas Universidades; agressões nas ruas por politicagem; desrespeito entre familiares e amigos; mídias pelo mundo… Só não ver quem não quer.

 

 

2 comentários em “O que pesa mais?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s